quarta-feira, 16 de maio de 2007

Palestra com LHS: "Pensando a Cidade"



Foi organizado pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil da Grande Florianópolis (SINDUSCON) um evento entitulado "Pensando a Cidade", dia 15 de maio no auditório da FIESC. A grande atração do encontro seria a presença do "palestrante" Luiz Henrique da Silveira, nosso excelentíssimo governador.

O objetivo inicial do evento era reunir, em diversos encontros mensais ao longo do ano, poder público, profissionais e especialistas para discutir o que a cidade precisa para aliar desenvolvimento, geração de emprego e preservação ambiental.

Quem dera fosse isso, porque na prática foi nada mais do que uma reunião regabofe (óbvio que tinha coquetel) com a corja mais PODRE da cidade, reunindo desde um exército de puxa-saco do governador até os empresários mais corruptos, fraudulentos e bandidos da cidade. A mesa, pra se ter uma idéia, era composta por vários "detentos" da Operação Moeda Verde. O auditório fedia a xilindró. Não houve nenhum tipo de conversa ou discussão pública: a platéia não pôde fazer perguntas. As duas únicas pessoas que falaram (o presidente da SINDUSCON e o LHS) se limitaram a defender os empreendimentos embargados na ilha e achincalhar a Polícia Federal, o IBAMA e o CONAMA. E essa foi a discussão para "aliar desenvolvimento, geração de emprego e preservação ambiental"... Extremamente revoltante.

Leia abaixo o relatório completo de como foi o esquema.


PENSANDO A CIDADE - Com o "palestrante" Luiz Henrique da Silveira (FIESC - 15/05/2007)


Horário de início oficial do evento: 18:30

18:45 - Chego na FIESC. Entro no hall e para minha surpresa tá rolando um coquetel... Será que eu errei o horário e a palestra já acabou?? Nãooo, enquanto eu tomava um café me explicam que o Governador tá voltando de uma "missão em Brasília" (esse é o código pro red ou pro black label?) e vai atrasar um pouco, por isso liberaram a ração pra porcada não berrar.

19:00 - Contagem: tem uns 5 alunos da UFSC + 1 professora.

19:15 - Fui na recepção pegar meu "material". Só tinha propaganda, a única coisa útil eram 2 folhas em branco e uma caneta. Foi aí que reparei: o evento é patrocinado por Elevadores ThyssenKrupp, Gerdau e Grupo Votoran.... Cimento, aço e elevadores... OOH, O QUE SERÁ QUE ELES PRETENDEM FAZER COM FLORIPA??

19:16 - Um amigo meu tem a sensacional idéia de mudar o nome do evento para "Concretando a Cidade".

19:20 - Pessoal começa a entrar no auditório. Música de motel rolando.

20:15 - Com quase 2h de atraso (isso que é respeito pelo povo!) chega a noiva, seguida de uma tripa de puxa-saco. Sem brincadeira, eram uns 20 seguindo ele auditório abaixo, parecia que tavam segurando a grinalda da criança.

20:30 - A mulher do Bom Dia SC é a mestre de cerimônias. Discursinho de boas vindas, hino nacional, blablabla, e chega a hora de chamar os componentes da mesa (umas 15 pessoas). Sem brincadeira, aquilo era a listagem da Polícia Federal: Marcondes (Costão), Péricles de Freitas (Presidente Habitasul; 3 envolvidos), entre mais uma corja realmente DO MAL.

20:45 - O presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil da Grande Florianópolis faz uma abertura da palestra, onde mete pau na operação Moeda Verde e trata a corja da mesa como heróis injustiçados. Passam então um vídeo produzido pelo Sindicato, que parece muito ter sido produzido com base na entrevista do LHS na TVBV. Um total absurdo, uma falta de bom senso.

20:50 - Aparecem palmas quando o cara se empolga metendo pau na Polícia Federal. Pela contagem das palmas, concluí que 2/3 da platéia era formada de puxa-sacos e empresários. O outro 1/3 da platéia que não bateu palmas era formado por estudantes, professores e outras pessoas com cérebro.

21:00 - A apresentadora bonitinha informa que devido ao fato do tempo ser curto e o governador ter outros compromissos depois da palestra (22h - Martini ; 23h - Conhaque) a platéia não poderia FORMULAR PERGUNTAS(!). Ouve-se um murmúrio das pessoas com cérebro, e um com o cérebro um pouco maior berra: "Eu já sabia! Conta alguma novidade!!"

21:02 - Chega a hora da excelentíssima mórsa falar. Não vou detalhar muito porque ele praticamente repetiu o que disse na entrevista (com algumas besteiras inéditas).

21:05 - Pauladas na PF. Citações de Marx, de filósofos gregos e o escambau pra defender os indiciados. Discurso emocionado e indignado. Dois terços de palmas. Mete pau nas favelas e diz que onde não se constrói empreendimentos tudo acaba virando favela e esgoto a céu aberto. Palmas.

21:20 - Começa com um histórico besta sobre economia. Enrolação pra dar uma de cult. Logo se cansa do papinho e volta a atacar. Dessa vez é o CONAMA quem vai pro saco. "Meia dúzia de técnicos que pensam que mandam no mundo", berra cuspindo. Um terço da platéia indignada, boquiaberta. Dois terços clap clap clap.

21:40 - Papinho dos hotéis. Fala do hotel "internacional" que acabou indo pra Tailândia porque aqui não rolou. Dá exemplos pitorescos das mil e uma edificações que ele viu em suas viagens, atingindo o clímax dando o exemplo de um hotel em que o hóspede desce de elevador (ThyssenKrupp?), pega uma ESTEIRA ROLANTE por cima da AREIA e é "depositado" confortavelmente na sua marina. Dois terços aplaudindo, um terço se beliscando pra confirmar que não era um pesadelo.

21:50 - LHS dá a informação de que ele está negociando a vinda de uma grande montadora de automóveis pra cá (olha a idéia), mas o motivo de estarmos perdendo a concorrência pra um Estado vizinho é de que aqui não há nenhuma escola americana pros filhos dos frufrus crescerem falando inglês, e que acima disso a principal exigência dos gringos é que eles PRECISAM de um campo de golfe, senão não rola!!! PUTA MERDA!! Momento de maior tumulto na platéia, risadas histéricas e uns berros indignados. Pensei na sugestão deles jogarem críquete na joaquina. Ou ainda peteca, frescobol. Só faltou o LHS se abaixar, levantar a toalha da mesa, baixar as calças do Mr. Costão do Santinho e lamber suas bolas. Mas isso não aconteceu, pelo menos durante a palestra.

22:00 - Mais algumas besteiras intercaladas com palmas e beliscões e ele parte pro final. Discurso inflamado e emocionado, papinho sobre crescimento e desenvolvimento blablabla e o 'muito obrigado' final. Palmas enfurecidas.

22:01 - Uma mulher levanta a voz pra falar com LHS e começa a dizer que quando a convidaram pra participar da palestra o tema não uma cerimônia de louvor à essa putada que tenta destruir nossa ilha, e muito menos um ritual de achincalhamento à Polícia Federal, ao Ministério Público, aos Vereadores de Floripa e ao CONAMA. A horda de puxa-sacos começa a vaiar e não deixa a mulher continuar a falar. Os com cérebro começam a aplaudir a mulher. Confusão do demonho, pessoal começa a se levantar pra sair e tudo acaba com um semi-bafafá. Luiz Henrique deixa o local um pouco transtornado. FIM!


É isso pessoal, parece que mês que vem tem mais, esse evento é pra ser mensal. Gostaria que essa parcela de 1/3 aumentasse... é a cidade de vocês em jogo.

Abraços.

4 comentários:

Anônimo disse...

é pra comentar??
sem comentários!!

Anônimo disse...

Culpa dos que o reelegeram...

Dirce Waltrick do Amarante disse...

----- Original Message -----
From: Dirce Waltrick do Amarante
To: moedaverde@gmail.com
Sent: Tuesday, May 29, 2007 9:07 PM
Subject: Florianópolis


Na época em que os suspeitos da operação furacão se encontravam presos na Polícia Federal, fui convidada para participar de uma manifestação em frente ao prédio da mencionada instituição. O objetivo da manifestação era levantar uma bandeira pelas áreas de preservação permanente, que, de acordo com a pessoa que me enviou o e-mail, está sendo espoliada pelos nossos empresários. Esse mesmo e-mail elogiava o papel do Ministério Público, da FATMA e da Polícia Federal, que tanto apreço têm pelas questões ambientais.

Abaixo minha resposta ao convite:



Caro,

Não te esqueças de mencionar aos teus colegas que a FATMA , o MP, entre outros órgãos, também deveriam preservar os morros, as dunas, os mangues, tomados por favelas e por um povo que não é ouvido, não tem cidadania, que está abandonado!, justamente porque por esse povo e por essas áreas de preservação ninguém levanta nenhuma faixa, isso não dá cartaz. Pensa nisso, e já que é para limpar a cidade, que a limpeza seja de verdade! Vamos começar dando casa nova aos habitantes de zona de preservação permanente. Sejamos justos pelo menos e pensemos no problema como um todo! Não quero ver favelas nos morros, crianças pedintes nas calçadas, sem escolas, pais desempregados, drogas! Também não quero ver ninguém enriquecendo ilicitamente! Nem ganhando fama à toa.

Dirce





Não demorou muito e recebi outro e-mail, desta vez com um discurso à la George Bush (maniqueísta até a raiz), falando de bons e maus, como se isso fosse possível. Segue o citado e-mail e, em seguida, a minha resposta:



PENSANDO A CIDADE - Com o "palestrante" Luiz Henrique da Silveira (15/05)


Horário de início oficial do evento: 18:30


18:45 - Chego na FIESC. Entro no hall e para minha surpresa tá rolando
um coquetel... Será que eu errei o horário e a palestra já acabou??
Nãooo, enquanto eu tomava um café me explicam que o Governador tá
voltando de uma "missão em Brasília" (esse é o código pro red ou pro
black label?) e vai atrasar um pouco, por isso liberaram a ração pra
porcada não berrar.



19:00 - Contagem: tem uns 5 alunos da UFSC. A Beatriz, professora de
arquitetura, também está presente.


19:15 - Fui na recepção pegar meu "material". Só tinha propaganda, a única
coisa útil eram 2 folhas em branco e uma caneta. Foi aí que reparei: o
evento é patrocinado por Elevadores ThyssenKrupp, Gerdau e Grupo
Votoran.... Cimento, aço e elevadores... OH, O QUE SERÁ QUE ELES QUEREM
FAZER COM FLORIPA??

19:16 - Um amigo meu tem a sensacional idéia de mudar o nome do evento
para "Concretando a Cidade".

19:20 - Pessoal começa a entrar no auditório. Música de motel rolando.

20:15 - Com quase 2h de atraso (isso que é respeito pelo povo!) chega a
noiva, seguida de uma tripa de puxa-saco. Sem brincadeira, eram uns 20
seguindo ele auditório abaixo, parecia que tavam segurando a grinalda da
criança.

20:30 - A mulher do Bom Dia SC é a mestre de cerimônias. Discursinho de
boas vindas, hino nacional, blablabla, e chega a hora de chamar os
componentes da mesa (umas 15 pessoas). Sem brincadeira, aquilo era a
listagem da Polícia Federal: Marcondes (Costão), Péricles de Freitas
(Presidente Habitasul; 3 envolvidos), entre mais uma corja realmente DO
MAL.

20:45 - O presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil da
Grande Florianópolis faz uma abertura da palestra, onde mete pau na
operação Moeda Verde e trata a corja da mesa como heróis injustiçados.
Passam então um vídeo produzido pelo Sindicato, que parece muito ter sido
produzido com base na entrevista do LHS na TVBV. Um total absurdo, uma
falta de bom senso.

20:50 - Aparecem palmas quando o cara se empolga metendo pau na Polícia
Federal. Pela contagem das palmas, concluí que 2/3 da platéia era formada
de puxa-sacos e empresários. O outro 1/3 da platéia que não bateu palmas
era formado por estudantes, professores e outras pessoas com cérebro.

21:00 - A apresentadora bonitinha informa que devido ao fato do tempo ser
curto e o governador ter outros compromissos depois da palestra (22h -
Martini ; 23h - Conhaque) a platéia não poderia FORMULAR PERGUNTAS(!).
Ouve-se um murmúrio das pessoas com cérebro, e um com o cérebro um pouco
maior berra: "Eu já sabia! Conta alguma novidade!!"

21:02 - Chega a hora da excelentíssima mórsa falar. Não vou detalhar muito
porque ele praticamente repetiu o que disse na entrevista (com algumas
besteiras inéditas).

21:05 - Pauladas na PF. Citações de Marx, de filósofos gregos e o escambau
pra defender os indiciados. Discurso emocionado e indignado. Dois terços
de palmas. Mete pau nas favelas e diz que onde não se constrói
empreendimentos tudo acaba virando favela e esgoto a céu aberto. Palmas.

21:20 - Começa com um histórico besta sobre economia. Enrolação pra dar
uma de cult. Logo se cansa do papinho e volta a atacar. Dessa vez é o
CONAMA quem vai pro saco. "Meia dúzia de técnicos que pensam que mandam no
mundo", berra cuspindo. Um terço da platéia indignada, boquiaberta. Dois
terços clap clap clap.

21:40 - Papinho dos hotéis. Fala do hotel "internacional" que acabou indo
pra Tailândia porque aqui não rolou. Dá exemplos pitorescos das mil e uma
edificações que ele viu em suas viagens, atingindo o clímax dando o
exemplo de um hotel em que o hóspede desce de elevador (ThyssenKrupp?),
pega uma ESTEIRA ROLANTE por cima da AREIA e é "depositado"
confortavelmente na sua marina. Dois terços aplaudindo, um terço se
beliscando pra confirmar que não era um pesadelo.

21:50 - LHS dá a informação de que ele está negociando a vinda de uma
grande montadora de automóveis pra cá (olha a idéia), mas o motivo de
estarmos perdendo a concorrência pra um Estado vizinho é de que aqui não
há nenhuma escola americana pros filhos dos frufrus crescerem falando
inglês, e que acima disso a principal exigência dos gringos é que eles
PRECISAM de um campo de golfe, senão não rola!!! PUTA MERDA!! Momento de
maior tumulto na platéia, risadas histéricas e uns berros indignados.
Pensei na sugestão deles jogarem críquete na joaquina. Ou ainda peteca,
frescobol. Só faltou o LHS se abaixar, levantar a toalha da mesa, baixar
as calças do Mr. Costão do Santinho e lamber suas bolas. Mas isso não
aconteceu, pelo menos durante a palestra.

22:00 - Mais algumas besteiras intercaladas com palmas e beliscões e ele
parte pro final. Discurso inflamado e emocionado, papinho sobre
crescimento e desenvolvimento blablabla e o 'muito obrigado' final. Palmas
enfurecidas.

22:01 - Uma mulher levanta a voz pra falar com LHS e começa a dizer que
quando a convidaram pra participar da palestra o tema não uma cerimônia de
louvor à essa putada que tenta destruir nossa ilha, e muito menos um
ritual de achincalhamento à Polícia Federal, ao Ministério Público, aos
Vereadores de Floripa e ao CONAMA. A horda de puxa-sacos começa a vaiar e
não deixa a mulher continuar a falar. Os com cérebro começam a aplaudir a
mulher. Confusão do demonho, pessoal começa a se levantar pra sair e tudo
acaba com um semi-bafafá. Luiz Henrique deixa o local um pouco
transtornado. FIM!


É isso pessoal, parece que mês que vem tem mais.
Gostaria que essa parcela de 1/3 aumentasse... é a cidade de vocês em jogo.

Abraços,

João Wendel
Engenharia Sanitária e Ambiental - UFSC
joaowendel@yahoo.com.br
FPLIS: (48) 8404-6559
JLLE1: (47) 3433-4767
JLLE2: (47) 3416-0312
MSN: joaowendel@hotmail.com

"O mundo é uma festa, e o gelo está acabando"

Eis o que penso:



Fiquei mais indignada com a notícia de que colocaram postes de energia elétrica na "favela do siri", que fica em cima de umas dunas do Norte da Ilha! Minha indignação tem dois motivos: 1. Devíamos pensar em como dar uma moradia digna para essa gente, em como gerar emprego para essas pessoas (que não têm cidadania, já que não gozam de nenhuma garantia do governo: garantias básicas como saúde, educação, etc). Dar energia elétrica é uma forma de fazermos de conta que pensamos nelas. É uma maneira barata e fácil de fazermos de conta que fazemos algo por elas. Queria ver se alguém se indignava, fazia alguma manifestação em favor dessa gente.

2. Esse povo vive sobre área de preservação permanente (assim como os moradores dos morros, mangues, etc), a mesma área que "queremos preservar" quando achamos que empresários "tentam" invadi-las. Mas gritar contra os empresários é mais fácil. Vamos gritar em favor do povo que vive nessas áreas, porque não tem lugar melhor para viver e ninguém que faça nada por eles.

Vamos pensar nisso! Preservação e organização social em todos os sentidos!



Outra coisa, saber mais nunca é negativo, não vejo, portanto, mal nenhum em termos escolas bilíngües aqui. Isso não é coisa e filhos de "frufrus", mas de pais que querem investir na educação de suas crianças!



Acho que esse texto, contra o qual me oponho, tem um raciocínio torto e maniqueísta, ao dividir a população entre bons e maus, como se isso fosse possível. O autor claramente se considera bonzinho.





Até,

Dirce



Dirce Waltrick do Amarante

Anônimo disse...

Sem-vergonhice patrocinada pelo Governo, os heróis da Confraria do Concreto e seu ilustre defensor, eleito por quem?